Cada sermão é uma oportunidade única- Joel Littlefield

 

Se você é um pregador, preparar sermões é uma parte inevitável da sua vida. Ou você escreve um discurso ou lê suas observações ao pé da letra ou improvisa na pregação (não recomendado). Essa é uma vocação digna e dada por Deus para ser desenvolvida ao longo do tempo. Você deve procurar crescer e se fortalecer nessa habilidade dada por Deus por todo o tempo que ela estiver sob sua responsabilidade. Ela não deve se tornar um velho hábito. Ao invés disso, cada sermão deve ser tratado como uma oportunidade para a vida inteira.

Para mim, o processo tem mudado. Ou deveria dizer que tem se desenvolvido ao longo dos anos, e eu espero que para melhor. Estou aprendendo a confiar mais o processo a Cristo e aos conselhos de muitos pregadores sábios do passado e dos dias atuais, os quais admiro muito.

Aqui estão algumas coisas para levar em consideração ao preparar um sermão que você pode achar úteis.

1. Afinal, o que é um sermão?

É um conjunto de verdades aprendidas das Escrituras, o qual um pregador/pastor deseja transmitir até o coração dos seus ouvintes, a fim de provocar mudanças. Resumindo, é entregar com poder as verdades da Escritura. As palavras-chave nas frases anteriores são: verdade, Escritura, coração e poder.

2. Como começar?

Sem a verdade – e não estou falando de uma verdade pessoal, relativa ou elaborada por conta própria – sem a verdade da Bíblia como fundamento para um sermão, definitivamente não temos um sermão. Isso não será sequer digno do título e definitivamente não vale a pena ouvi-lo no contexto da igreja local, onde o corpo de Cristo anseia por alimento espiritual.

As escrituras são a única fonte da verdade e devem ser, junto com a oração, a base de todo preparativo de um pregador. Não é suficiente ir até à Bíblia com uma ideia própria e apresentá-la à Bíblia desejando aprovação. Isso é andar para trás.

De preferência, o próprio texto deve ser a base e a causa para nossos sermões. A Bíblia é “mais afiada que qualquer espada de dois gumes.” Ou seja, qualquer texto da Bíblia. Ela é viva e eficaz e perfeitamente capaz de penetrar o coração do pregador também. Vá até a Bíblia e deixe-a tocar sua alma. Deixe a palavra de Deus falar a você como um ser humano que você é; isto é, um tipo de pessoa necessitada e desamparada que está sem Cristo. E, quando ela falar com você, então você terá algo para compartilhar.

3. Dê a eles algo para mastigar.

Quando o sermão termina e os irmãos vão para casa para continuarem seus dias, eles devem ter algo para mastigar. Como pregadores, o que nós queremos é que eles mastiguem?

Pense nisso. Minha esposa e eu alimentamos nossos filhos com o que acreditamos que eles precisam para um crescimento saudável. Nós dizemos a eles literalmente, “vocês são o que comem”. Se vocês comerem comidas que não são saudáveis, então isso será o estado do seu corpo. Se comerem comidas boas e saudáveis, então, muito provavelmente, terão um corpo saudável. Mas isso tudo se resume ao que nós os damos para mastigar. E se déssemos nada além de couro e pele? “ Aqui, mastigue isso”. Eles trabalhariam em agonia e, no final, não teriam nada mais que uma mandíbula dolorida para mostrar. Claro, eles estavam mastigando, mas foi lhes dado algo que causaria mais mal do que bem.

Pregadores têm uma capacidade parecida e sermões têm uma capacidade parecida de deixar os filhos de Deus com algo ou digno de ser mastigado ou completamente impróprio. Precisamos estar conscientes de que o alimento que preparamos durante nosso tempo de preparação é algo que nós desejaríamos que eles mastigassem, algo para saúde espiritual e crescimento. Não só ideias e exemplos morais, mas verdades Bíblicas reais. O fato é que, eles mastigarão qualquer coisa que lhes for entregue, mas o corpo pode reagir mal a isso. Não deixe isso acontecer.

4. Mantendo Cristo no centro.

No rolo do livro está escrito a meu respeito” (Salmos 40:7, Hebreus 10:7).

É assim que sabemos que a Bíblia toda é sobre Jesus. Há muitos textos, relatos históricos, poemas e canções dentro das páginas da Bíblia, mas de que se trata tudo isso? De acordo com o salmista e o escritor de Hebreus, tudo era sobre Cristo. Cada página. Cada sopro do Espírito que encheu a caneta dos escritos foi por um objetivo primário; tornar Cristo conhecido. Se esse é o fio principal unindo tudo; se cada pensamento, cada sermão de Paulo e Pedro, cada vitória do Antigo Testamento e cada cordeiro morto estava, no fim das contas, falando de Jesus, então como podemos lutar tanto com interpretação de texto e ideias de sermões?

No centro de tudo está o Messias. Jesus Cristo deve ser o alvo de cada sermão. Leve seus ouvintes do contexto da história que você está ensinando, caminhe com eles através da aplicação para aqueles que viveram naqueles dias, faça, até mesmo, alguns pontos legais e paralelos, mas certifique-se de levá-los de volta até Jesus e para aquele evento que coroa toda história da humanidade, a cruz. Se não conseguir chegar lá entre quarenta e cinco minutos e uma hora durante a pregação, então reescreva seu sermão e certifique-se de levá-los até lá.

5. Mire o coração humano.

O meu último ponto será esse: que toda a razão de um sermão não está somente na entrega de informações. Ao invés disso, como eu disse no início dessa postagem, é para provocar mudanças no coração. Ouvi dizer o seguinte: “Se você pregar para os feridos, nunca ficará sem audiência”. Isso é verdade. Isso são todas as pessoas.

Cada pessoa na congregação e no mundo, incluindo os pregadores, é uma alma real, viva e respirante. A ferida se dá devido a natureza pecaminosa do homem que afeta a todos. Não trate o sermão como uma oportunidade para mostrar seu preparo, para contá-los o que você aprendeu. Use o sermão para conseguir as informações certas, o evangelho de Jesus Cristo para seus corações afetados pelo pecado. Não importa se você pregar por tópicos ou verso por verso, o objetivo não é você alcançar um ponto em particular, ou que você possa dizer aos seus colegas pregadores que você abordou vários livros da Bíblia em um ano. O propósito é que as almas sejam alimentadas, corações sejam mudados e que, através do evangelho, corações mortos ganhem vida.

Mire o coração humano com cada palavra. Naqueles quarenta e cinco minutos e uma hora, nós temos a oportunidade de ajudar a curar, confortar, moldar, repreender, erguer e, até mesmo, salvar uma alma. Quando isso acontecer, não será devido a habilidade oratória ou pela maneira pela maneira refinada da entrega. Toda glória será para Jesus pelo Sua Obra, Sua Palavra e Seu Evangelho.

 

Próxima vez que você preparar um sermão (e isso vale para mim também), o faça com paixão por Cristo e Seu povo. Estou aprendendo a ver cada sermão como uma oportunidade única, uma oportunidade para trazer mudanças onde mais importa, mudança no coração das pessoas pelas quais Cristo morreu e agora vive.

 

Tradução: Fellype Ferreira.

Revisão: Felipe Prestes e Hélio Sales.

Você pode ler o artigo original em inglês aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s